Fandom

RuneScape Wiki

Quarta Era

3 694 páginas
nesta wiki
Adicione uma página
Comentários0 Compartilhar

A Quarta Era, também conhecida como a Era dos Mortais, foi o período quando as raças que sobreviveram às Guerras Divinas começaram a se reconstruir e florescer. Essa era também se destaca pelo surgimento de famosos heróis humanos. Heróis dessa era incluem Arrav e Camorra, que têm uma estátua de cada um na Guilda dos Heróis.

Raças durante a 4ª EraEditar

HumanosEditar

Jogador cabeça.png
Apesar de algumas poucas cidades no Deserto, a maioria da população humana no começo da 4ª era havia abandonado a civilização devido à destruição de suas cidades durante a Terceira Era e vivia em tribos nômades. A maior exceção foi a cidade de Saranthium, construída sobre as ruínas da antiga capital do império Zarosiano, Senntisten, mas essa cidade também foi abandonada e destruída eventualmente.

Conforme a era avançava, através da competição por terras contra outras raças, como a dos duendes, os humanos começaram a construir novas e permanentes cidades, algumas das quais se transformaram em importantes centros urbanos ao final da Quarta Era, permitindo à raça humana se tornar a raça dominante de Gielinor no fim da Quarta Era. Os humanos não teriam se tornado a raça dominante, porém, se não fosse a descoberta da essência de runa, que os permitiu fazerem uso de magia.

GnomosEditar

Gnomo cabeça.png
Os gnomos retornaram à superfície assim que as Guerras Divinas terminaram, encontrando todas as suas cidades devastadas. Entre os 3º e 5º séculos da Quarta Era, os gnomos foram forçados a se esconder de tribos bárbaras de humanos, para escapar da extinção. Pouco depois disso, a Grande Árvore, no centro do atual Forte dos Gnomos Arborícolas, foi plantada e a civilização dos gnomos começou a se desenvolver. Hoje tem seus pólos no Forte dos Gnomos Arborícolas, no norte de Kandarin, e a Vila dos Gnomos Arborícolas, no centro de Kandarin.

AnõesEditar

Anão.png
Os anões permaneceram abaixo da superfície durante a Quarta Era, onde haviam se escondido durante a Terceira Era para escapar da extinção. Durante esse tempo, eles descobriram uma colossal caverna onde construíram sua capital, Keldagrim. Depois que a cidade foi fundada, a maior parte de seus conhecimentos e poderes sobre magia foi, de alguma forma, perdida; o único feitiço do qual eles ainda fazem uso, dizem, é Hiperfusão por ser útil para a Metalurgia, principal arte praticada pelos anões.

Durante o reinado do Rei Alvis, o Consortium, que rapidamente se tornou a organização governante de Keldagrim, foi fundado; próximo do ano 1650, após a morte de Rei Alvis, o Consortium já controlava todo o mundo dos anões. Devido a sua falta de habilidades mágicas, a tecnologia dos anões tornou-se bastante avançada durante o tempo, com uma incrível habilidade e conhecimento relacionados à Mineração e Metalurgia.

Ao final da Quarta Era ou no início da Quinta Era, eles começaram a refazer os primeiros contatos com a superfície após alguns milênios vivendo debaixo da terra.

ElfosEditar

Elfo.png
Os elfos não permaneceram enclausurados em Tirannwn durante a Quarta Era; eles governaram grandes áreas do atual reino de Kandarin por pelo menos um grande período dessa era, durante a qual eles ensinavam aos humanos, com quem conviviam pacificamente. O próspero reino dos elfos em Kandarin, governado pelo rei Baxtorian, durou até o surgimento do Clã Iorwerth, que ao contrário dos outros elfos, que adoravam Seren, eram fiéis a Zamorak (há constrovérsias). O Clã Iorwerth aproveitou que o centro das atenções do rei estavam no reino de Kandarin e tomou a capital dos elfos: a cidade de cristal, Prifddinas.

Após a queda de Prifddinas nas mãos dos Iorwerth, o reino élfico de Kandarin entrou em colapso e os elfos foram obrigados a retornar para Tirannwn, se isolando do resto do mundo. Os clãs rebeldes foram forçados a permanecer em Isafdar, uma floresta ao sul de Prifddinas, com centro na cidade de Lletya. Até hoje, os elfos permanecem em um estado de guerra civil.

DuendesEditar

Duende detalhe.png
Quando a Quarta Era teve início, muitas da tribos de duendes batalharam contra outras raças para obter recursos. Já na metade da era, os duendes estavam perdendo na competição por recursos e começaram a lutar entre si, culminando na Batalha da Planície de Lama. No auge da batalha, um dos duendes teve uma visão de Bandos ordenando que os duendes cessassem o conflito e que ele enviaria o Comandante Escolhido para liderar os duendes numa grande guerra contra as outras raças e dominar o mundo. Assim, o conflito cessou e os duendes construíram um templo dedicado a Bandos no local, que afundou com o tempo para debaixo da terra.

Durante a Quarta Era, a maioria dos duendes se tornou mais fraca e menos inteligente, até se tornarem apenas uma pequena ameaça às outras raças. A tribo dos Dorgeshuun foi uma exceção a isso pois eles permaneceram debaixo da terra, isolados das outras civilizações. Ainda assim, eventualmente, próximo do fim da Quarta Era algumas tribos de duendes começaram a construir assentamentos permanentes como a Vila dos Duendes.

O maior exemplo de assentamento construído por duendes ainda em existência é a capital da tribo dos Dorgeshuun, a próspera cidade de Dorgesh-Kaan, localizada abaixo da atual Lumbridge.

TzHaarEditar

Tzhaar.gif
Os TzHaar, uma das únicas duas raças conhecidas que habitavam Gielinor antes da Primeira Era num misterioso período conhecido como Os Dias Antigos e, portanto, uma das raças mais antigas e uma das únicas nativas de Gielinor, viviam uma vida isolada do restante do mundo desde a Primeira Era. Durante a Quarta Era, eles tiveram o primeiro contato conhecido com os povos da superfície. A civilização dos TzHaar considerava os humanos como 'bichos de estimação' durante esse período. Posteriormente, eles abririam as portas de sua cidade vulcânica à visitação de outras raças. Apesar de sua aparência robusta e força excepcional, os TzHaar são seres bastante inteligentes e pacíficos.


VampirosEditar

Vampiro.png
Sob o governo de Lord Drakan, os vampiros dominaram toda a região de Morytania e escravizaram sua população. Durante a Segunda e começo da Terceira eras, a região ao norte de Morytania pertencia ao império Zarosiano e a região ao sul era um próspero reino Saradominista habitado pelos Icyene, uma maravilhosa raça de seres alados, semelhantes a anjos, atualmente extinta. Lord Drakan, com a permissão de Zamorak, liderou seus exércitos para a região e rapidamente destruiu e escravizou sua população, transformando a região no território pantanoso e sombrio que é hoje.

Curiosamente, quanto mais longe de Morytania os vampiros permanecem, mais fracos eles ficam. Eles cobram de todos os habitantes de Morytania um tributo em sangue, incluindo os lobisomens de Canifis. Os dois únicos locais que não têm que pagar o tributo são a cidade portuária de Phasmatys, habitada por fantasmas e, portanto, desprovidos de sangue; e a vila de humanos de Burgh de Rott, a única cidade livre da região. Os humanos que vivem em Meiyerditch, a capital dos vampiros e a maior cidade em extensão existente, são 'cultivados' como animais para alimentar os vampiros. Após algum tempo, Lord Drakan se sentiu forte o suficiente para atacar o atual reino de Misthalin, mas ele foi derrotado e o Rio Salve, que separa Misthalin de Morytania, foi abençoado pelos sete padres-cavaleiros, heróis Saradoministas, para impedir que as criaturas nefastas oriundas de Morytania o atravessem.

Eventos com datas conhecidasEditar

Do 1º ao 8º séculosEditar

  • 1-?: Os gnomos retornam à superfície após terem se escondido debaixo da terra durante as Guerras Divinas para escapar da extinção. Os anões, que também haviam se escondido debaixo da terra, permanecem sem perceber que as Guerras haviam acabado até alguns milênios depois.
  • Entre o fim da Terceira Era e começo da Quarta Era, o Punho de Guthix foi criado.
  • 1 - 200: Os druidas, seguidores de Guthix, construíram círculos de pedra para adorar Guthix nesse período.
  • 31 - 60: O primeiro mapa das estrelas que não foi destruído foi feito nesse período; acredita-se que tenha sido elaborado pelo grande astrônomo Zamorakista, Scorpius.
  • 200 - 500 aproximadamente: Humanos bárbaros caçaram os gnomos, quase levando-os à extinção e forçando-os a recuarem para assentamentos escondidos.
  • 600 - 900: Assentamentos permanentes em Entrana, Faladore e Karamja são construídos.
  • 700: Avarrocka, atualmente conhecida como Varrock, foi construída. Varrock é o mais antigo assentamento humano fora das regiões desérticas no mundo atual. A cidade foi fundada quando uma tribo nômade encontrou um bebê abandonado e o tomou como um bom sinal. O bebê eventualmente tornou-se Arrav, um famoso herói.
  • 750 - 850: O povo de Avarrocka tornou-se muito poderoso e conquistou suas tribos vizinhas, eventualmente formando a primeira nação humana, o reino de Misthalin.

Séculos 9º ao 15ºEditar

  • 800 - 1000: O reino de Asgarnia foi fundado nesse período.
  • 900 - 1000 aproximadamente: O governo de Avarrocka mudou para uma monarquia nesse período, embora a data precisa seja desconhecida.
  •  ??69: Depois que muitos assentamentos humanos tornaram-se auto-suficientes e capazes de se defenderem, a Batalha da Planície de Lama foi travada entre as tribos de duendes. Acredita-se que esta tenha ocorrido no meio dess era, provavelmente entre os anos de 869 e 1269.
  • 1100: Roberto o Forte, um dos muitos heróis que surgiram no período, supostamente leva a cruel raça dos Dragonkin até a quase-extinção, fazendo-os recuarem para uma localização remota.
  • 1100 - 1200: Muitas criaturas profanas de Morytania atacam Misthalin, especialmente Avarrocka. Sete padres-guerreiros derrotam a invasão e abençoam o Rio Salve, tornando ele uma barreira para as criaturas nefastas de Zamorak.
  • 1225: Bilrach o Mahjarrat, juntamente com seus seguidores, começou a construção dos calabouços de Kalaboss.

Séculos 16º ao 20ºEditar

  • 1500 - 1700: A antiga Asgarnia foi supostamente destruída nesse período e Faladore reduzida a ruínas. Não se sabe exatamente como isso aconteceu, mas os registros apontam que a Faladore moderna foi fundada no ano 7 da Quinta Era.
  • 1650 aproximadamente: Após a morte do Rei Alvis, o consortium toma o controle de Keldagrim. Durante os próximos séculos, os anões se tornaram uma raça bastante próspera, assim como também bastante avançada tecnologicamente. A liderança do consortium permitiu o desenvolvimento de trens e barcos movidos a vapor, assim como técnicas avançadas de controlar o metal em indústrias.
  • 1777: Imigrantes atravessaram o Rio Salve procurando por locais para fundar cidades, ignorando os avisos que receberam dos Saradoministas no templo Paterdomus e fundaram algumas vilas no norte de Morytania, como Porto Phasmatys e o Castelo de Fenkenstrain. Todos eles eventualmente caíram sob o domínio dos vampiros. Os habitantes de Porto Phasmatys conseguiram se libertar, mas a um alto custo, virando fantasmas no processo.
  • 1800 - 150 da Quinta Era (data incerta): Os gnomos eventualmente restabelecem contato com os humanos, agora mais civilizados.
  • 1930: Elfos do atual reino de Kandarin são isolados de sua terra de origem, Tirannwn. Eles mandam 5 mensageiros através das montanhas de Arandar para Tirannwn, para saber o que aconteceu, mas apenas um retorna: Adwr. O rei do reino élfico de Kandarin, Baxtorian, descobre que o Clã Iorwerth se rebelou e conquistou a principal cidade dos elfos: Prifddinas. O Rei Baxtorian, então, ordena que os elfos retornem para Tirannwn para tentar reconquistar Prifddinas, mas eles fracassam. O Rei Baxtorian, então, retorna para seu reino em Kandarin e o encontra em ruínas, além de sua esposa, a rainha Glarial, morta. Reza a lenda que Baxtorian ficou tão desolado que ele se enterrou debaixo de uma cachoeira.
  • 1937: A cidade de Lumbridge foi fundada em Misthalin. O primeiro Duque de Lumbridge foi Polonius, e a cidade foi fundada em nome de Claudius, o Rei de Misthalin. Al Kharid foi construída pouco depois, mas seu povo é independente de Misthalin.
  • 1967: A cidade de Ardonha envia um exército para batalhar contra um grupo de Zamorakistas que viviam em um posto de observação ao noroeste.
  • 2000: Descoberta da essência rúnica, que permite aos humanos usarem a magia pela primeira vez desde que o conhecimento foi perdido nas eras anteriores, e permite à raça humana tornar-se a raça dominante de Gielinor. Esse evento marca o fim da Quarta Era e o começo da Quinta Era.

Eventos com datas desconhecidas:Editar

  • Desconhecido: A cidade de Avarrocka lança uma cruzada para um templo Zamorakista no deserto. As razões e o resultado são desconhecidos.
  • Desconhecido: Avarrocka foi renomeada como Varrock em celebração a um evento histórico.
  • Desconhecido (começo da Quarta Era): O Rei Elfo, Baxtorian, líder do Clã Cadarn que era o mais militarista dos clãs élficos, lidera uma expedição através das montanhas de Arandar para expandir seu reino na região da atual Kandarin.
  • Desconhecido (meio da era): O dragão Garak, que tinha destruído muitas vilas perto da Terra Selvagem, foi derrotado pela heroína Camorra.
  • Desconhecido: Mort'ton é afetada por uma espécie de vírus ou maldição originária do Castelo Drakan, transformando seus habitantes em seres aflitos, semelhantes a zumbis. Isso aconteceu, segundo Herbi Flax, quando Avarrocka foi renomeada como Varrock.



Ver tambémEditar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no Fandom

Wiki aleatória