FANDOM


Masmorra das guerras divinas

Entrada da Masmorra das Guerras Divinas, centro de batalha durante a Terceira Era

A Terceira Era, também conhecida como a Era da Guerra dos Deuses ou Guerras Divinas, foi um tempo de grande calamidade e destruição em RuneScape. Dentre todas as eras de RuneScape, a Terceira Era foi aquela que mais influenciou e transformou o mundo.

As Guerras são descritas da seguinte forma pelo deus Saradomin:

Todas as divindades atualmente presentes nesta dimensão, e algumas das que não estão mais entre nós, estiveram envolvidas nas Guerras. Cada um formou uma facção, de sua posse ou escolhendo se aliar ao lado de uma das facções mais poderosas, até que as únicas remanescentes eram a minha e a do odioso Zamorak. Conforme as coisas foram crescendo e atingindo seu auge, o antigo Guthix, que até então era desconhecido por nós anteriormente, apareceu e baniu toda a guerra destas terras. Infelizmente isto significa que muitos dos assuntos pelos quais nós lutávamos permaneceram incompletos, mas eu não culpo Guthix por sua intervenção prematura. Caso ele não tivesse interferido em nossas lutas é provável que este mundo teria sido prejudicado irreparavelmente, e eu não desejo que a inocência seja a principal perda de nossa guerra.


Quando indagado sobre sua função, Guthix cita uma parte de seu ponto de vista em relação aos deuses Saradomin e Zamorak e sua atuação nas Guerras Divinas:

Eu ajo como o árbitro final sobre esta terra, pois nenhum outro servirá para esta função.

Quando eu hibernava e Zamorak e Saradomin reinavam livremente sobre este mundo, este mundo foi quase destruído por eles pois cada um tinha suas próprias crenças e desejos de como este mundo deveria ser, mas ambos são tão inflexíveis que não puderam permitir um acordo entre suas crenças, nem controlar suas ações quando possível apenas para poder impor suas vontades sobre esta terra. Caso qualquer um deles ganhe poder suficiente para exceder seu oponente, então eu estarei aqui para agir como o agente do equilíbrio e da balança, promovendo ou a redução do poder de um, ou a elevação do outro.
Apesar do que tu possas crer, o equilíbrio não ocorre por si próprio; ele requer tanto tempo quanto esforço e consideração para forçá-lo sobre as coisas.


Em outra ocasião, Guthix comenta sobre a extinção de algumas raças durante as Guerras:

Há muitas criaturas que outrora caminharam sobre esta terra que desde então foram destruídas completamente nesta dimensão.
Aqueles que foram chamados de guerreiros pelas várias divindades deste mundo nas chamadas 'guerras divinas', tu deverias se agradar imensamente em particular por não mais caminharem nesta dimensão, pois tamanhas abominações trazidas por Zamorak conforme ele financiava sua guerra não deveriam jamais ser vistas neste plano de existência novamente.

Contexto Histórico

Zaros

Zaros.

Durante a Segunda Era, o deus Zaros governava um vasto império que englobava as Terras Selvagens, Misthalin, o norte de Asgarnia e o norte de Moritânia. No fim da Segunda Era, seu general Zamorak, na época membro da raça dos Mahjarrat, o traiu e baniu Zaros de Guilenor. A derrota de Zaros marca a transição da Segunda Era para a Terceira Era.

Horrorizados pelo fato de um mortal ter derrotado um deles, os deuses banem Zamorak de Guilenor. Rapidamente ele retorna, porém, ao completar sua transformação em um deus devido à fração dos poderes de Zaros que Zamorak absorveu durante a batalha contra seu antigo mestre e possivelmente com a ajuda do poder da Pedra de Jas. Ao retornar, Zamorak alia-se a Saradomin para destruir o remanescente do império de Zaros, que ainda tinha seguidores fiéis a ele. Pouco tempo depois, Zamorak se volta contra Saradomin e quebra a aliança, dando início às Guerras Divinas.

As Guerras em si consistiram em uma série de conflitos, batalhas e guerras entre as facções fiéis às
Annakarl

As ruínas de Annakarl, uma das fortalezas do império de Zaros

divindades de Guilenor durante a Terceira Era, que duraram um período de aproximadamente 4,000 anos. Durante as Guerras, Saradomin e Zamorak ocasionalmente se aliavam para destruir as cidades e fortalezas ainda fiéis a Zaros apenas para depois quebrar a aliança e se voltar um contra o outro em seguida. Todas as divindades, segundo Saradomin, participaram do conflito, com destaque para as quatro principais: Saradomin, Zamorak, Bandos e Armadyl.

Em seu auge, as Guerras levaram o mundo à beira da destruição. Inúmeras raças, muitas de natureza bela e única, foram extintas durante o cataclisma das Guerras Divinas. Grandes e poderosos reinos, além de majestosas cidades, desapareceram completamente do mapa e as Terras Selvagens, centro do conflito, antes uma terra paradisíaca com belas florestas e cidades prósperas, tornou-se a terra irreparavelmente destruída que é hoje.

Polêmicas Históricas

Saradomin cabeça

A verdadeira história das Guerras Divinas é algo relativamente difícil de determinar. Tendo ocorrido milênios atrás, informação sobre o período é difícil de encontrar.

Entretanto, um fator que dificulta ainda mais esse processo são as diferentes versões existentes sobre o desfecho das Guerras. Tanto saradoministas quanto zamorakistas discordam sobre o que realmente ocorreu. Os saradoministas, como o velho homem sábio da Vila Draynor, afirmam que Saradomin estava próximo de vencer quando ele teve misericórdia dos zamorakistas e permitiu que um acordo de paz fosse feito. Os zamorakistas, porém, insistem que não foi dessa forma que ocorreu e têm suas próprias crenças. A grande maioria aceita atualmente que de fato foi Guthix quem terminou as Guerras, pela imensa quantidade de evidências que confirmam essa tese.

Outro assunto complicado sobre o período são os Mandamentos de Guthix, que foram criado pelo deus do equilíbrio quando ele terminou as Guerras. Alguns religiosos duvidam de sua existência. Outros, porém, incluindo muitos conselheiros religiosos importantes como Aeonisig Raispher, conselheiro real de Sua Majestade Roald de Misthalin, encorajam a obediência aos Mandamentos.

Acontecimentos Importantes

Eventos Conhecidos

As Guerras Divinas foram cenário de muitas batalhas históricas e eventos que modelaram RuneScape como o conhecemos hoje. A seguir, uma lista de eventos confirmados que aconteceram durante as Guerras, embora hajam muitos que desde então foram esquecidos ou de origem duvidosa. Os eventos não estão em ordem cronológica.

  • Bandos chega a Guilenor (há controvérsias sobre o fato de Bandos já ter habitado Guilenor durante a Segunda Era ou ter chegado a partir da Terceira).
  • Uzer, a maior cidade dos desertos, é sitiada por Thammaron, um Demônio Ancião e capitão dos
    Ossos de Thammaron

    Os ossos de Thammaron, o demônio ancião morto após a batalha de Uzer

    exércitos de Zamorak. Apesar dos esforços dos golems de argila para salvar a cidade, eles são derrotados e Uzer é destruída. Thammaron, porém, é severamente ferido por um grupo de elite dos golems, e é forçado a fugir desta dimensão. As feridas, no final, são fatais ao demônio. O restante do exército de Thammaron é massacrado por Azzanadra, um Mahjarrat ainda fiel a Zaros.
  • A tribo de duendes dos Dorgeshuun é banida por Bandos após recusar participar de uma batalha da qual eles não tinham chances de vencer. Presos debaixo da terra, eles lutam pela sua sobrevivência e conseguem construir uma cidade conhecida como Dorgesh-Kaan aproximadamente 800 anos antes do término da Terceira Era.
  • Akthanakos, um Mahjarrat fiel a Zaros, é enganado por Enakhra, uma Mahjarrat fiel a Zamorak, e é aprisionado no templo de Enakhra. (Há polêmica sobre o fato disso ter acontecido na Terceira ou na Quarta Era)
  • Os seguidores de Zaros lutam para resistir contra a fúria dos outros deuses, em especial Saradomin e Zamorak, que lutam pelo controle sobre as terras Zarosianas. Muitos dos seguidores de Zaros sobreviventes são forçados a fugir para o deserto e hoje vivem como bandidos. A capital do império, Senntisten, ainda resiste por 3.000 anos antes de cair.
  • Azzanadra, campeão de Zaros e Mahjarrat de imenso poder, é derrotado e aprisionado em uma pirâmide.
    Azzanadra

    Azzanadra, na forma humana

    Sua essência é aprisionada em quatro diamantes (sangue, gelo, fumaça e sombra) possivelmente por uma força conjunta de Zamorakistas e Saradoministas, que tiveram que colaborar juntos pelo fato de Azzanadra ser imensamente poderoso.
  • As Terras Selvagens, durante a Segunda Era, foram parte do vasto domínio de Zaros. Após a derrota do Lorde Vazio e o começo das Guerras Divinas, as Terras Selvagens se tornaram um centro de batalha e múltiplas raças e facções tentaram destruir os Zarosianos remanescentes. Ao final das Guerras, a Terra Selvagem, que antes fora um paraíso florestal, foi permanentemente destruída pela guerra e hoje é inabitável para todas as formas de vida a não ser as formas mais corruptas e nefastas.
  • Lord Lowerniel Vergidiyad Drakan, um lorde vampiro, ganha controle sobre Moritânia como recompensa pela sua assistência na rebelião de Zamorak contra Zaros. A região sul de Moritânia era uma região florestal também conhecida como Hallowland, onde ficava o reino dos Icyene, governado pela Rainha Efaritay. Os Icyene eram uma raça muito pura de seres alados fiéis a Saradomin, semelhantes a anjos (confira imagem ao lado da Comandante Zilyana - última Icyene sobrevivente).
    Zilyana

    Comandante Zilyana, uma Icyene

    Hallowland é rapidamente conquistada pelas hordas de vampiros, mortos-vivos e lobisomens de Drakan. A Rainha Efaritay é capturada e depois executada e o reino Icyene cai, dando controle total de Drakan sobre a região. Ele converte as cidades da área em guetos onde ele "cultiva" humanos para alimentar os vampiros de sangue e corrompe muitos dos antigos Icyene, transformando-os em Vyrewatch, uma espécie de vampiro voador corrompido. Drakan, em seguida, lança tempestades em frente ao sol, bloqueando a luz e transformando a região em um pântano. Ele destrói a capital do reino Icyene e sobre as ruínas constrói Meiyerditch, a cidade-gueto que serve como capital do seu domínio onde ele aprisiona humanos para alimentar suas hordas de vampiros.
  • Conde Draynor, o primo de Lord Drakan, se instala na região que hoje é a Vila Draynor. (Há polêmica sobre isso ter ocorrido de fato na Terceira Era)
  • Os Irmãos das Catacumbas lideram as forças de Saradomin até o coração de Moritânia na tentativa de libertar
    Barrow brothers

    Os Irmãos das Catacumbas

    a terra do controle de Drakan. Eles são mortos em batalha e enterrados em colinas. Posteriormente são transformados em espíritos por um estranho que muito possivelmente é o Mahjarrat zarosiano Sliske (há controvérsias).
  • A civilização dos "Myriad", que costumava habitar a região de Lumbridge, é destruída quase que completamente; as criaturas de luz nas cavernas do pântano de Lumbridge são tudo o que restou da antiga civilização. Juna, uma guardiã de Guthix que estava presente nos tempos das Guerras Divinas, diz o seguinte sobre os Myriad:


Os Myriad são exemplo da beleza que eram as criaturas e civilizações das primeiras eras do mundo. Gielinor era uma obra de arte, modelada amorosamente através dos milênios pela criativa mente de Guthix. Apenas as raças mais robustas sobreviveram às Guerras Divinas, e para isso tiveram que abandonar sua cultura e focar sua sociedade unicamente para a guerra. Das raças mais delicadas hoje não há nenhum traço, e quase nenhuma lembrança. Uma dessas raças possuía uma corpo tão frágil quanto flocos de neve, e no entanto construíram cidades de cristal que sobreviveram por milhares de anos. O vento soprava por suas espirais e as enchia com doces harmonias, e o sol nascente brilhava através das preciosas gemas que enfeitavam as torres e criava jogos de luz como se arco-íris estivessem dançando. De tão maravilhoso que era este show de luzes, os padrões de luz em si ganharam vida, e grandes flocos de criaturas luminosas voaram através dos raios projetados pelas gemas, cada um atraído por sua própria cor. As criaturas que você vê flutuando neste abismo são os últimos tristes remanescentes daquele tempo. Eu não sei como eles conseguiram chegar aqui e sobreviver todo esse tempo, mas sou grata pela sua compania.
Juna


Aviansie

Um Aviansie

  • Os Aviantese, uma raça de seres alados semelhantes a pássaros fiel e devota a Armadyl, desaparecem. Porém, muitos foram congelados em uma batalha massiva (a Masmorra das Guerras Divinas) e retornaram.
  • Os anões, depois de perceber que as Guerras poderiam levá-los à sua extinção, se isolam da superfície dirigindo-se para as profundezas da terra. Eles constroem sua capital, Keldagrim, que existe até os dias de hoje. Após terminar sua construção, os anões cessam o uso de magia.
  • O sítio de escavação, conhecido como Senntisten na época, é destruído pelas forças de Zamorak. Senntisten era a capital do império de Zaros e sua maior cidade, e foi o último foco de resistência dos seguidores ainda fiéis a ele. A cidade-fortaleza resistiu por mais de 3,000 anos até ser tremendamente enfraquecida por um ataque conjunto massivo das forças Saradoministas. No ano 3740 da Terceira Era, as forças Zamorakistas conquistam a cidade e massacram a população ainda fiel a Zaros. Poucos anos depois, os Saradoministas conquistam e destroem a cidade, construindo Saranthium em seu lugar com o propósito de apagar os vestígios da existência de Senntisten. A construção de Saranthium foi concluída no ano 3804, e toda essa informação é conhecida graças à evidência presente em duas moedas encontradas no sítio de escavação, os únicos registros remanescentes de datas daquela era. Saranthium é posteriormente abandonada por volta da Quarta Era.
  • Os elfos são forçados a recuar para Tirannwn devido ao perigo presente nas terras além das montanhas de Arandar e lá permanecem até os dias de hoje.
Gnomo

Um gnomo

  • Os gnomos, assim como os anões, são forçados a fugir para debaixo da superfície do mundo. Sua capital, o Forte dos Gnomos Arborícolas, é destruída e permanece em ruínas até sua reconstrução na Quarta Era.
  • A Mãe Mallum, rainha das lesmas do mar, tenta conquistar o mundo. Ela é impedida por muito pouco pelos Saradoministas Cavaleiros do Templo, uma organização que foi fundada durante as Guerras Divinas pelo próprio Saradomin (outras evidências sugerem que isso tenha ocorrido durante a Quarta Era, e não durante as Guerras Divinas).
  • O Mahjarrat Hazeel conquista as terras onde hoje fica Ardonha como parte de seu acordo com Zamorak.
  • Paddewwa, Kharyrll, Lassar, Dareeyak, Carrallangar, Annakarl, as últimas fortalezas de Zaros remanescentes, são destruídas. Ghorrock é a última fortaleza de Zaros ainda intacta, localizada ao norte do planalto gelado e ao lado da ponta da terra selvagem.
Kree'arra

Kree'arra, general de Armadyl na Masmorra das Guerras Divinas

  • Uma colossal caverna, conhecida hoje como a Masmorra das Guerras Divinas, é o cenário de uma batalha massiva entre os seguidores de Bandos, Saradomin, Zamorak e Armadyl. A caverna é escondida e selada durante a batalha, congelando seus combatentes. Milênios depois, no ano 169 da Quinta Era, os combatentes são descongelados devido ao tectonismo da Terra Selvagem. Eles retomam sua batalha na tentativa de obter a Espada Divina, sem perceber que as Guerras Divinas já acabaram há mais de 4,000 anos.
  • Dentro da Masmorra das Guerras Divinas, os exércitos de Bandos, Armadyl,
    Porta dos deuses

    A entrada da Prisão Antiga, onde Nex está aprisionada.

    Saradomin e Zamorak se aliam para aprisionar o último exército de Zaros e seu temido general, Nex.
  • Bandos lidera os ogros até as colinas de Feldip, eliminando a população local rapidamente e conquistando a terra para si.
  • Os Wyrms, uma espécie de Dragões Anciães muito poderosa, lentamente desaparece devido ao seu contínuo uso em combate. O Dragão Branco, muito poderoso e comum na época, também desaparece. Seu couro era usado na confecção de armaduras para arqueiros humanos.
  • Os Wyverns, variante voadora e bípede de dragão, são extinguidos devido, provavelmente, a uma grande mudança climática ou devido às próprias Guerras. Seus esqueletos reanimados podem ser encontrados na masmorra de gelo de Asgarnia, o único local frio o suficiente para eles sobreviverem.
  • O metal dragônico, tipo de metal encontrado unicamente em Freneskae e forjado somente pelos Dragonkin, cai nas mãos de outras raças como os humanos e as fadas.
  • O conhecimento das Magias Antigas, feitiços de batalha extremamente poderosos, é largamente esquecido. Usadas apenas por alguns seletos Zarosianos, quase foram extinguidas devido à morte de seus usuários.


  • O contato com uma cidade submarina é perdido, com toda a memória da cidade desaparecendo. Sua existência só é sabida devido a uma citação da cidade pelo próprio Guthix:


Se tu perguntas acerca da cidade sob as ondas, ela foi submergida há muitos séculos, e muitos dos povos hoje a consideram nada além de mito.
Eu lhe digo a verdade, porém, ao dizer que tal lugar de fato existe, e mesmo enquanto eu escrevo isto há aqueles que trabalham para restabelecer o acesso entre este lugar e o mundo externo que a esqueceu por completo através destes séculos passados.


Yu'biusk 2

Yu'biusk hoje, destruída por Bandos

  • As batalhas não se contiveram apenas em Guilenor. Muitas foram travadas em outras dimensões, algumas das quais foram destruídas por completo. Um exemplo disso foi Yu'biusk, a dimensão de origem dos duendes que foi destruída por Bandos.
  • Destre as grandes cidades do deserto estava Ullek, uma cidade localizada entre os penhascos e pântanos da região sudeste do deserto. Pouco depois de Uzer ter sido atacada por Thammaron, Ullek foi atacada e destruída por Balfrug Kreeyath, um demônio de três faces e futuro guarda-costas do general Zamorakista que hoje permanece na Masmorra das Guerras Divinas, o demônio K'ril Tsutsaroth. Os poucos que conseguiram escapar se refugiaram em Sophanem, que na época era apenas uma pequena vila.
  • As divindades desérticas, que comandaram as regiões do deserto durante incontáveis anos, perdem poder. Talvez como consequência da imensa quantidade de conflitos que ocorrem no deserto. Embora eles ainda tenham influência em áreas como Menaphos e Sophanem, seu poder diminui imensamente sobre o mundo exterior, fazendo com que alguns cheguem até a duvidar de sua existência.
Yu'biusk

Yu'biusk, antes de ser destruída por Bandos

  • Yu'biusk é o mundo originário dos duendes. Lá eles viviam em paz durante milhares de anos até serem descobertos por Bandos. O deus da guerra os leva para Gielinor e destrói seu mundo de origem. Em Gielinor, Bandos os transforma em seus devotos guerreiros, fazendo-os abandonar sua cultura pacífica e se voltar para a guerra.
  • Muitos dos milhares que pereceram na Terra Selvagem retornam dos mortos como Revenants ou fantasmas. Essas criaturas aterrorizam a Terra Selvagem mesmo depois do fim das Guerras, suas mentes enlouquecidas e distorcidas pela sede por sangue. Incapazes de morrer permanentemente, essas criaturas assombram eternamente a região.
  • A Ilha Dente de Dragão, uma pequena ilha florestal localizada ao leste de Morytania, é usada por Saradoministas como posto de observação. Eles são brutalmente assassinados por um inimigo desconhecido, deixando muito de sua história um mistério.
  • Agrith-Naar, um demônio poderoso, é banido de Gielinor por Guthix ao acordar. Porém, ele ainda consegue influenciar Gielinor controlando desastres naturais.
  • O Punho de Guthix é formado pouco depois de Guthix retornar à superfície. A maneira como ele foi formado, porém, não é certa.
  • Eventualmente, uma das principais raças guerreiras de Bandos, os Ourgs, desaparece.
  • Próximo do fim da Guerra, os seguidores mais leais e devotos de Armadyl, os Aviantese, desaparecem. Armadyl fica tão desolado que decide abandonar Gielinor.

Principais Conflitos

Durante as Guerras Divinas houve milhares de batalhas individuais e conflitos entre os habitantes de RuneScape. Embora muitos tenham sido esquecidos ao longo do tempo, algumas das batalhas mais importantes ainda são lembradas atualmente, conforme listadas abaixo. Por favor note que embora eles estejam relativamente ordenadas, algumas podem não obedecer fielmente à ordem cronológica devido à escassez de informações sobre o período.

  • Os Conflitos das Lesmas do Mar
  • A Campanha do Deserto Kharidiano
  • A Batalha de Ardonha

Táticas de Guerra

A Terceira Era foi um tempo sangrento marcado por batalhas. Como a terra estava sempre em mudanças devido às constantes batalhas em sua superfície, haviam poucas cidades duradouras. Ocasionalmente acampamentos eram criados para abrigar os exércitos, mas raramente alguma cidade ou vila sobrevivia por muito tempo.

Por causa disso, as batalhas das Guerras Divinas eram mais violentos e sangrentas que qualquer outra. Todos foram obrigados a lutar; havia poucos "civis", pois toda a população era voltada para a guerra. Todas as raças de natureza pacífica e frágil desapareceram completamente e apenas as mais fortes sobreviveram. Não haviam muralhas para se esconder nem cidades para proteger os soldados. A maioria das batalhas ocorriam em campo aberto sem quaisquer estruturas defensivas além de algumas bem rudimentares para proteger os combatentes.

Enquanto muitos exércitos fizeram uso de estretégia, táticas inteligentes e vantagem do terreno para derrotar seus inimigos, outros faziam uso de força bruta. Os seguidores de Bandos em particular ficaram conhecidos por sua força e brutalidade. Fazendo uso da vantagem numérica, os exércitos de Bandos não faziam prisioneiros.

Armas e Equipamento

Equipamento da 3ª Era

Armadura de guerreiro da Terceira Era

Poderosas armaduras e armamentos eram usados durante as Guerras Divinas. Muito mais fortes que a maioria dos metais usados hoje em dia, os metais utilizados durante a Terceira Era tinham origens desconhecidas ou de outras dimensões, que conferiam habilidades máginas e superiores a quem os usasse. As Guerras forçavam as raças a procurarem sempre novos equipamentos de guerra melhores que os anteriores para terem vantagem sobre os inimigos. As armaduras da Terceira Era, famosos pelo seu alto custo no Mercado Geral e símbolo de dinheiro, têm status de defesa e ataque invejáveis. Extremamente raras por terem sobrevivido ao tempo, podem ser obtidas através de caças ao tesouro, comprando no Mercado Geral ou de outro jogador, as armaduras da Terceira Era de Combate à Distância, Magia e Combate Corpo a Corpo são respectivamente feitas de couro de Dragão Branco, atualmente extinto; seda encantada e prata encantada. A arte de forjar tais equipamentos foi há muito perdida. Essas armaduras foram feitas tão bem que podem ser usadas ainda hoje, e são extremamente valorizadas

Armas de sítio foram usadas primariamente durante o começo das Guerras, contra cidades e fortalezas. Conforme as estruturas de defesa, como as sete Fortalezas Zarosianas e as cidades de Senntisten, Uzer e Ullek desapareceram e deram lugar ao combate em campo aberto, as armas de sítio perderam sua utilidade.

O Fim da Guerra

Guthix

Guthix

As Guerras Divinas tiveram fim quando Guthix acordou de sua hibernação milenar e cessou a luta entre os deuses. A intervenção de Guthix foi necessária para evitar que o cataclisma das Guerras destruísse irreparavelmente o mundo. No processo, ele criou os Mandamentos de Guthix, que impedem que os deuses, como Saradomin e Zamorak, interfiram diretamente nos assuntos terrenos dos mortais, limitando ao extremo sua influência sobre o mundo. Alguns Saradoministas afirmam que na verdade apenas Saradomin e Zamorak participaram do conflito e que próximo do fim, Saradomin teve misericórdia das forças de Zamorak e permitiu que um acordo fosse feito. Isso, no entanto, é falso.

Impacto nos dias de hoje

As Guerras Divinas ainda chegam a influenciar Gielinor nos dias atuais. Muitas das terras que foram conquistadas por certas raças durante as Guerras ainda estão sob seu controle atualmente. As Terras Selvagens, em particular, permaneceram praticamente inalteradas desde sua destruição na Terceira Era.

Um dos principais produtos das Guerras Divinas foram os Mandamentos de Guthix. Quando Guthix cessou todo o conflito entre os deuses, ele criou seus Mandamentos, que proibiam as divindades de interferirem nos assuntos terrenos dos mortais diretamente e baniam qualquer tipo de conflito ou guerra em larga-escala entre duas facções religiosas diferentes. Caso os Mandamentos cheguem a ser violados, um culto de Guthixistas promoverá um ritual para acordar Guthix, que irá banir os deuses e destruir Gielinor, remodelando-a de uma maneira completamente diferente de forma a "purificá-la". Isso impede que os governantes da era moderna entrem em guerra entre si, pois ataques de larga-escala poderiam levar à violação dos Mandamentos, que levaria à destruição do mundo.

Muitas armaduras e armamentos advindos da Terceira Era sobreviveram aos dias atuais e se preservam em excelente estado, sendo usados por alguns dos jogadores que têm condições para adquirir essas raridades. Um exemplo de armadura da Terceira Era largamente usada por jogadores experientes é a armadura de Bandos.

Conclusão

As Guerras Divinas têm início com a quebra da aliança entre Saradomin e Zamorak na destruição do império de Zaros e termina com a intervenção de Guthix ao acordar, quando ele cessa o combate e demanda que os deuses parem de interferir nos assuntos terrenos de RuneScape. A Terceira Era em si começa com a derrota de Zaros e sua expulsão de Gielinor e termina com o fim das Guerras e a criação dos Mandamentos de Guthix.


Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.